Eventos

Festival exibe curtas dirigidos por mulheres da nova geração de cineastas brasileiras


Segundo o Anuário Estatístico do Cinema Brasileiro de 2015, produzido pela Agência Nacional do Cinema (Ancine), obras brasileiras dirigidas exclusivamente por mulheres são minoria entre os filmes nacionais. "Dos 129 títulos lançados em 2015, 100 foram dirigidos exclusivamente por homens, o que representa 77,5% do total". Isso significa que no Brasil, a produção cinematográfica ainda é predominantemente dominada pelo sexo masculino.

É exatamente por isso que em 2014, diretoras e roteiristas brasileiras se reuniram para criar o Coletivo Vermelha, que se propõe a pensar criticamente a condição feminina e as relações de gênero, com a intenção de empoderar, dar visibilidade e criar um ambiente de cooperação entre as mulheres do audiovisual.

Lançamento: Tortura blindada


Do nada te agrediram? A troco do quê? Havia algum motivo para isso? Tapa na cara, só? O senhor conhecia os policiais? Essas folhas que você assinou são mentira? Os policiais estão mentindo?

Com frases similares, às vezes ditas aos brados, juízes e promotores esvaziam um dos principais instrumentos para prevenir e combater a tortura no Brasil: as audiências de custódia, que ocorrem em até 24 horas após uma prisão em flagrante. 

Um dos principais objetivos dessas audiências, instituídas há exatamente dois anos em São Paulo por iniciativa do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), é justamente averiguar casos de violência por parte dos agentes públicos no momento da detenção. Uma pesquisa inédita da Conectas mostra, no entanto, que esses episódios são negligenciados, naturalizados e até justificados pelos representantes do Ministério Público e da Magistratura. 

Letalidade disfarçada


O uso abusivo das chamadas “armas menos letais” (balas de borracha, spray de pimenta, gás lacrimogênio, etc.) pelas policias para dispersar manifestações, resultando em graves danos à cidadãos, é um fato recorrente tanto em países democráticos quanto em regimes autoritários.

Apesar de violações como estas ocorrerem à revelia de normas internacionais e já terem sido denunciadas por organizações da sociedade civil, havia a necessidade da produção de mais dados e análises consolidadas sobre os verdadeiros impactos à saúde causados por este tipo de armamento.

Afinal, que lesões podem ser provocadas por canhões de água? Quais os efeitos causados no corpo pela química do gás lacrimogênio e do spray de pimenta? Qual a gravidade dos danos causados pelo uso incorreto e abusivo de balas de borracha?

10ª Bienal da UNE acontecerá no Ceará


A 10ª Bienal da UNE vai tomar conta do Centro Dragão do Mar de Arte e Cultura, em Fortaleza, no Ceará, de 29 de Janeiro a 1º de Fevereiro.

As inscrições dos trabalhos para as mostras estudantis são gratuitas e vão até o dia 6 de janeiro. É importante ler o regulamento para inscrever os trabalhos de acordo a sua linguagem. A divulgação dos trabalhos selecionados será feita a partir do dia 13 de janeiro de 2017 no site da UNE.

A Mostra de Extensão vai selecionar projetos educadores e transformadores nos mais diversos campos de saberes. Projetos de Extensão são ações que integram o conhecimento acadêmico e os saberes da comunidade em uma interação de mão dupla que visa o desenvolvimento econômico, tecnológico e sócio-ambiental da população em geral. Eles podem ter caráter social; tecnológicos, culturais, artísticos e esportivos. 

Fórum Social das Resistências acontece em Janeiro de 2017


A conjuntura mundial nos pede coragem. E frente ao crescente processo de retrocessos políticos, sociais, econômicos e o aprofundamento da crise ambiental há várias iniciativas de coletivos, movimentos e organizações sociais em lutas e resistências. Reunir estas várias experiências para troca de informações, criar pontos de contatos e pensar formas de unir e acumular forças é uma necessidade. Por isso estamos convidando à todas e todos que estão mobilizadas e mobilizados contra a retirada de direitos para se somarem num esforço coletivo para a realização de um FÓRUM SOCIAL DAS RESISTÊNCIAS – por democracia e direitos dos povos e do planeta a se realizar de 17 a 21 de Janeiro de 2017 em Porto Alegre, Brasil. A data é em contraposição ao Fórum Econômico de Davos, evento que congrega o pensamento neoliberal responsável pela crise civilizatória que a humanidade vive. Nossa proposta é uma iniciativa de vários organizações e movimentos sociais brasileiros em diálogo com atores e atrizes sociais da América Latina e do Mundo.

Fórum Social Panamazônico: um novo modelo de globalização é possível?


Em 2017, comunidades tradicionais, povos indígenas e movimentos sociais de nove países da América Latina irão se reunir no Fórum Social Panamazônico,  entre os dias  28 de abril e primeiro de maio, na cidade de Tarapoto, no Peru. Para colocar em pauta desde já os temas que serão abordados no encontro, a Pulsar Brasil lançou uma série de dez reportagens especiais.

A série “Fórum Social Panamazônico – Um olhar do Brasil” traz a voz de especialistas e dos povos tradicionais sobre os temas que envolvem a vida, a identidade e os problemas enfrentados na floresta.

Esta primeira reportagem pretende abordar o que se pode esperar da oitava edição do Fórum. O encontro é estratégico para conter o avanço do impacto socioambiental  causado pelos megaprojetos e fortalecer as experiências de respeito à natureza e valorização da cultura popular.

Brasil, Equador, Venezuela, Bolívia, Colômbia, Peru, Suriname, Guiana e Guiana Francesa irão se reunir para uma discussão profunda sobre um novo modelo de civilização.

Assista o vídeo teaser sobre a série de reportagens:

Sarau das Pretas: arte negra e feminina nas periferias


O sarau das pretas é um coletivo formado por artistas negras da cidade de São Paulo. Através da poesia, elas levam uma mensagem de luta, resistência e reconhecimento para as periferias. "A ideia do sarau é potencializar essa literatura negra e feminina, mas também utilizando as outras linguagens como a música e a dança", explica a poeta Elizandra Souza, à repórter Sandra Paulino, da TVT.

O coletivo surgiu em março deste ano, quando quatro amigas decidiram se juntar para mostrar a força e o talento da mulher negra nas artes. "Nós somos artistas periféricas. A periferia, durante muito tempo, é colocada como menor. A gente mostra que, embora temos que sair dela para se formar, voltamos para ela", conta a atriz e poeta Jô Freitas.

São Paulo sedia Fórum Pro Bono América Latina


Nos dias 28 a 30 de setembro acontece o Fórum Pro Bono América Latina, evento inédito realizado pelo Instituto Pro Bono em São Paulo. É a primeira vez que o Brasil sedia um encontro internacional sobre a promoção do acesso à justiça e combate à discriminação. Serão três dias de grupos de trabalho, reunindo os principais atores da região comprometidos com litigância gratuita e mobilização política em defesa dos direitos humanos de grupos vulneráveis.

Marcos Fuchs, diretor executivo do Instituto Pro Bono, ressalta a importância do encontro. “Este é um evento que vai trazer uma troca de informações e experiências de outras iniciativas Pro Bono na América Latina, fortalecendo ainda mais essa cultura no Brasil. Vamos discutir, principalmente, a melhor forma de acesso à justiça pelas pessoas que não podem constituir um advogado e que não são atendidas pelas Defensorias Públicas”, afirma.

Sobre o Instituto Pro Bono

Seminário Defesa Criminal Efetiva na América Latina


Qual é o padrão da defesa criminal na América Latina? Como pessoas, especialmente aquelas sem recursos, acusadas de cometer um crime podem se defender de forma justa? Como os países da região vêm se organizando para garantir condições que possibilitem julgamentos imparciais?

Para debater estas e outras questões, especialistas, autoridades e representantes da sociedade civil estarão reunidos no “Seminário Defesa Criminal Efetiva na América Latina”, que acontece no dia 20 de setembro, das 9h às 18h30, no auditório da FGV Direito SP.

Entre os palestrantes, figuram Ed Lloyd-Cape, professor e pesquisador internacionalmente conhecido na área de Justiça Criminal, Gonzalo Reys Sala, do Instituto de Defensoria Pública de Nuevo León do México, além de James Cavallaro, presidente da Comissão Interamericana de Direitos Humanos (CIDH) da OEA.

6º Encontro Sulbrasileiro de Organizações e Movimentos Sociais


Banner do evento

A Abong Sul realizará o 6º Encontro Sulbrasileiro de Organizações e Movimentos Sociais, onde organizações e movimentos sociais do sul do Brasil irão se reunir novamente para troca de suas experiências de resistências, discussão das agendas, avaliação sobre a implantação do novo marco regulatório de acesso a recursos públicos e acesso a recursos internacionais. O evento acontecerá nos dias 30 e 31 de agosto, na Associação de Estudos Orientação e Assistência Rural, no Paraná. Mais informações disponíveis no evento criado no Facebook.