Fundo Zona Leste Sustentável abre edital para apoio a pequenos empreendedores


Pelo segundo ano, o Fundo Zona Leste Sustentável abre edital para seleção de micro e pequenos empreendimentos da Zona Leste da capital paulista que receberão apoio técnico e aporte financeiro. A iniciativa é de instituições que visam promover o desenvolvimento local sustentável na região. Entre elas estão: Fundação Tide Setubal, Instituto Votorantim, Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae SP), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac SP), Subprefeitura de São Miguel Paulista, Universidade Cruzeiro do Sul, USP Leste e Instituto Ethos de Empresas e Responsabilidade Social.

As inscrições começam em 14 de outubro e vão até 14 de novembro. O Fundo Zona Leste Sustentável visa apoiar negócios, formais ou não, que operam há pelo menos um ano em Ermelino Matarazzo, Itaim Paulista, Itaquera e São Miguel. Os selecionados contarão com financiamento de até R$ 25 mil. Ao mesmo tempo, seus líderes receberão formação técnica e administrativa. Podem se habilitar: cooperativas, microempresas e negócios individuais e associativos, cada uma com apenas um projeto. As propostas deverão ser preenchidas no site do Fundo — . O resultado sai em 16 de dezembro.

Pré-requisitos e seleção

Além de submeter projeto, o candidato ao Fundo precisará se matricular no curso /Empreendedor em pequenos negócios/, oferecido pelo Senac Itaquera, gratuitamente. Todos os inscritos poderão frequentar as aulas de capacitação, as quais objetivam auxiliar na elaboração de plano de negócios e apresentar conceitos de marketing, desenvolvimento local e gestão financeira. Para os selecionados no edital, a frequência a 75% do curso será obrigatória. As inscrições estarão abertas no próprio Senac Itaquera, de 14 de outubro a 14 de novembro. Mais informações: www.sp.senac.br/itaquera.

“O principal objetivo do Fundo é beneficiar empreendedores com dificuldade de obter recursos no mercado tradicional”, explica Gabriel Ligabue, consultor técnico do Zona Leste Sustentável. A novidade de 2011, segundo ele, está na área abrangida pelo edital. “Acrescentamos Itaquera em função das oportunidades que serão geradas pela Copa do Mundo nessa região. É uma maneira de preparar e fortalecer os empreendedores locais”.

O Zona Leste Sustentável financiará empreendimentos ligados à sustentabilidade ambiental (energia renovável, gestão sustentável de resíduos e recursos ambientais) e de bens e serviços das áreas de alimentação; confecção, vestuário e acessórios de moda; informática; design (visual, moda, industrial, decorativo); comunicação e marketing. Também estão aptos a concorrer os fornecedores de máquinas, equipamentos e serviços de apoio a esses segmentos.

Os critérios de seleção abrangem a participação de mulheres no negócio, a inclusão de jovens e o compromisso com práticas sustentáveis. Será considerado o potencial de o empreendimento gerar renda e trabalho para moradores da região, além da capacidade de firmar parcerias com outros empreendedores locais, organizações sociais e poder público.

“É essencial o potencial de interação, cooperação, complementaridade e aprendizagem entre os empreendimentos selecionados e com outros já existentes no território. Queremos consolidar o trabalho de formação de cadeias produtivas que foi iniciado no edital de 2010”, enfatiza Ligabue.

Os candidatos ao Edital precisam oferecer contrapartidas econômicas e não econômicas. No caso das econômicas, é obrigatório contarem com recursos de, no mínimo, 30% do valor total solicitado, o que inclui, por exemplo, despesas com manutenção de instalações, água, energia e aluguel. Já a contrapartida não econômica pode ocorrer pela contratação de mão de obra de moradores e uso de fornecedores locais, além do compromisso de formalização dos empreendimentos informais em até 6 meses após o resultado do edital.

Retribuição solidária

Diferentemente do edital passado, os selecionados em 2011 assumirão o compromisso de se tornar apoiadores do Fundo, por meio de um mecanismo de retribuição solidária. O valor desse apoio variará de 20% a 80% do total do repasse, de acordo com o tipo de empreendimento (cooperativa, negócio individual etc.) e do vínculo do projeto com a sustentabilidade ambiental. Essa contribuição terá inicio seis meses após o encerramento do contrato com o Fundo e seu prazo irá variar de 24 a 60 meses, dependendo do valor aportado. O objetivo do novo mecanismo é formar uma rede solidária de apoiadores do Zona Leste Sustentável, para que cada vez mais empreendedores locais possam ser beneficiados nos próximos editais.

O primeiro edital do Fundo Zona Leste Sustentável, lançado em 2010, recebeu a inscrição de 42 projetos. Foram selecionados 12 empreendimentos dos segmentos de alimentação, comunicação, confecção, contabilidade e meio ambiente, estando quatro deles em processo de formalização. Além da injeção de cerca de R$ 350 mil, o Fundo promoveu aos empreendedores capacitações, visando à ampliação da rede de clientes, inovação de produtos e serviços e competitividade no mercado formal.

Mais informações: www.zlsustenta.org.br.