Letalidade disfarçada


O uso abusivo das chamadas “armas menos letais” (balas de borracha, spray de pimenta, gás lacrimogênio, etc.) pelas policias para dispersar manifestações, resultando em graves danos à cidadãos, é um fato recorrente tanto em países democráticos quanto em regimes autoritários.

Apesar de violações como estas ocorrerem à revelia de normas internacionais e já terem sido denunciadas por organizações da sociedade civil, havia a necessidade da produção de mais dados e análises consolidadas sobre os verdadeiros impactos à saúde causados por este tipo de armamento.

Afinal, que lesões podem ser provocadas por canhões de água? Quais os efeitos causados no corpo pela química do gás lacrimogênio e do spray de pimenta? Qual a gravidade dos danos causados pelo uso incorreto e abusivo de balas de borracha?

Na quarta-feira, dia 8 de fevereiro, a Rede Internacional de Organizações de Direitos Civis (INCLO, em sua sigla em inglês) e a Médicos por Direitos Humanos (PHR, em inglês), em parceria com a Conectas, lançam no Brasil o relatório “Letalidade Disfarçada – danos à saúde por armas menos letais”. 

O evento gratuito acontece na sala Pedro Conde da Faculdade de Direito da USP, a partir das 19h, e será seguido por um coquetel com os palestrantes.

Além de trazer uma extensa apuração sobre os danos provocados pelo uso abusivo e incorreto de armas menos letais em diversas partes do mundo, o documento formula recomendações para políticas voltadas para seu uso seguro.

Fonte: Conectas