Pontos de Vista

ONU critica perdão aos torturadores


Do JusBrasil Notícias - A decisão do Supremo Tribunal Federal de manter o texto original da Lei da Anistia, conforme promulgado em 1979, foi alvo de críticas por parte de dirigentes da Organização das Nações Unidas (ONU). Para entidade, a rejeição do pedido da OAB para punir crimes do período militar significa impunidade. A principal autoridade da ONU para direitos humanos, a sul-africana Navi Pillay, pediu o fim da impunidade no Brasil.

A alta comissária da entidade para os Direitos Humanos disse que a ONU continuará lutando contra o que considera impunidade. "Essa decisão é muito ruim", disse Navi. "Sempre vamos combater leis que proíbam investigações e punições".

Direito Autoral - A importância do xerox na vida universitária


"Em cinco estados brasileiros – São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Ceará e Rio Grande do Sul – universidades e diretórios acadêmicos(que muitas vezes abrigam os Xerox em suas instalações) foram processados pela realização de fotocópias. Até agora, 18 instituições foram acionadas na Justiça". Este artigo de Eleonora Rigotti tem foco na discussão atual e urgente em torno da reforma da Lei de Direitos Autorais - um passo necessário rumo à democratização da cultura e maior acesso ao conhecimento.

Por Eleonora Rigotti*

Notificar para bem cuidar


Por: Salvador Soler* - Ciente de que Pernambuco é um dos Estados que detém maiores indicadores de mortes violentas, o Unicef reconhece importantes esforços para mudar essa situação por parte do governo do Estado e da sociedade. Não podemos, no entanto, esquecer que a situação é ainda muito grave, e que mais pessoas devem ser envolvidas nesse esforço.

Rafaelas


 

Há uma semancriancaa, Rafaela, três anos, foi morta em casa, em Campo Grande, Mato Grosso do Sul.  Era espancada e maltratada com frequência pela mãe, uma jovem de 22 anos, e pelo padrasto.

Por Eleonora Ramos*

 

 

A hora e a vez da ecologia mental


mental

“Ou mudamos de valores civilizatórios ou a Terra poderá continuar sem nós”. Esse é o ponto ocultado nos fóruns mundiais, especialmente o de Copenhague.

Por Leonardo Boff*

 

 

Confecom: nunca antes neste país..., por Marcos Dantas


Nunca antes neste país, cerca de 30 mil pessoas discutiram, ao longo de três meses, o tema Comunicações ou Mídia. Nunca antes neste país, cerca de mil pessoas ligadas a movimentos sociais, entidades sindicais e, inclusive, associações empresariais debateram, junto com o governo, políticas públicas para as Comunicações.

A hipocrisia sobre o aborto no Brasil e a morte de Neide Mota


neide motta

"Novas formas discursivas entram em ação e se potencializam. Mídia, setores conservadores da Igreja Católica e de outras religiões dando as mãos, numa aliança “fraterna” e inequívoca, para impedir os avanços da autonomia sexual e reprodutiva, da liberdade e da solidariedade da população brasileira, particularmente  de todas as mulheres".
Artigo de Margareth Arilha, Diretora Executiva da CCR.

Agrotóxicos no seu estômago


Por João Pedro Stédile*
Os porta-vozes da grande propriedade e das empresas transnacionais são muito
bem pagos para todos os dias defender, falar e escrever de que no Brasil não
há mais problema agrário. Afinal, a grande propriedade está produzindo muito
mais e tendo muito lucro. Portanto, o latifúndio não é mais problema para a
sociedade brasileira. Será? Nem vou abordar a injustiça social da
concentração da propriedade da terra, que faz com que apenas 2%, ou seja, 50
mil fazendeiros, sejam donos de metade de toda nossa natureza, enquanto

11 PMLs (Puntos Minimos Legales) para ser un blogger sin mayores roches/problemas


Por Erick Iriarte Ahon*

El dia de hoy se celebra el BlogDay, asi que pensando en un aporte para este día, he tratado de recopilar algunos “PMLs” (Puntos Minimos Legales).

1. El principio básico de la blogosfera y de la Sociedad de la Información es el compartir. En este compartir el blog es de los mecanismos mas idóneos. Recuerda que este compartir está signado por la libertad de información y de expresión, y tambien por el irrestricto respeto por los derechos de otros (los mismos que se encuentran  en la Declaración Universal de Derechos Humanos).

Democratizar las comunicaciones sí, pero... ¿sabemos cómo y para qué?


Por Aram Aharonian

Se ha puesto de moda hablar de la necesidad de desalambrar los latifundios mediáticos (Viglietti/Aram dixit), de la “necesaria democratización” de la comunicación y de la información y del llamado “terrorismo mediático” (Chomsky dixit). Y muchas veces, todo eso no pasa de consignas o, peor, de lamentos.