Cadernos

O direito de informar e de ser informado


Declaração da Assembléia pelo Direito à Comunicação, realizada por militantes da informação alternativa e aqueles/as que utilizam a comunicação como uma ferramenta de transformação social, convoca união de forças na luta pelo direito à informação e à comunicação, 'sem os quais nenhuma transformação é possível'.

Declaração da Assembléia pelo direito à comunicação, Dacar - 11 de fevereiro de 2011

FSM Dacar: concentração fundiária e de meios de comunicação são apontadas como principais causas da desigualdade


 

FSM DacarA concentração fundiária e de meios de comunicação foram apontadas como as principais causas das desigualdades sociais por associações de ONGs de diversos países durante atividade do FIP (Fórum Internacional de Plataformas Nacionais de ONGs), realizada no último dia 9, durante o Fórum Social Mundial de Dacar, no Senegal.

Carta aberta a Alexandre Padilha reforça importância da luta antimanicomial


pessoa presaO Conselho Federal de Psicologia lançou uma carta aberta, na qual parabeniza o novo ministro  da Saúde, Alexandre Padilha, e reforça a importância da participação intersetorial na luta antimanicomial, partindo do princípio de que não existe saúde mental sem reconhecimento dos sujeitos, dos seus direitos, da sua plena condição de participação na vida social, a qual precisa então suportar diversidade e novas formas de ordenação, seja no campo da cultura, do trabalho, da educação, da assistência, e de tantos outros.

Leia a íntegra da carta.

A comunicação compartilhada é estratégica para o FSM?


Nunca a informação e a comunicação estiveram tão disputadas no mundo. A discussão das novas tecnologias e seu papel estratégico ocuparam lugar de destaque neste FSM, em Dacar. O poder político das novas ferramentas, as redes de comunicação que se transformam em grandes negócios, como lidar com tudo isso para a democratização da comunicação e a transformação da realidade estiveram em debate, com a presença do sociólogo português Boaventura de Sousa Santos.

FSM Dakar: Declaración de la Asamblea de los Movimientos Sociales


Nosotras y nosotros, reunidos en la Asamblea de Movimientos Sociales, realizada en Dakar durante el Foro Social Mundial 2011, afirmamos el aporte fundamental de África y de sus pueblos en la construcción de la civilización humana. Juntos, los pueblos de todos los continentes, libramos luchas donde nos oponemos con gran energía a la dominación del capital, que se oculta detrás de la promesa de progreso económico del capitalismo y de la aparente estabilidad política. La descolonización de los pueblos oprimidos es un gran reto para los movimientos sociales del mundo entero.

"Um balanço retrospectivo e analítico dos direitos reprodutivos em 2010: desafios persistentes"


Os direitos sexuais e reprodutivos ameaçados têm uma dimensão de liberdade individual, a chamada autodeterminação reprodutiva, livre de discriminação, coerção e violência, fundamental para o controle e decisão sobre a fecundidade. Pelo outro lado, têm uma dimensão pública, pois dependem de leis e políticas públicas que garantam o seu exercício por homens e mulheres.

A resistência africana é um dos grandes temas do FSM de Dacar


resistencia africanaA resistência africana é o grande tema do Fórum Social Mundial de 2011, que acontece em Dacar, no Senegal. Assim definiu um de seus organizadores, o marroquino Hamouda Soubhi, do Fórum Social de Maghreb. “Escravidão, diáspora e imigração, entre outros temas, serão fortes nesta edição do FSM, assim como em Belém (AM), o principal era a Amazônia”, diz.

Pontos de Cultura se articulam em todo o país


Começou com os Pontos de Cultura do Rio Grande do Norte, há uma semana. Depois foi a comissão estadual dos pontos de cultura de São Paulo, no último final de semana, em Ribeirão Preto. Rio de Janeiro, Ceará e Santa Catarina realizaram reuniões também esta semana. E representantes da Comissão Nacional de Articulação dos Pontos de Cultura (CNPdC) se reuniram com o secretário Executivo do Ministério da Cultura (MinC), Vitor Ortiz, e com a secretária de Cidadania e Diversidade Cultural (SCDC/MinC), Marta Porto, no dia 2 de fevereiro.

Candidatos da sociedade civil ao CGI.br assinam plataforma comum


redeOito candidatos a representantes do terceiro setor no Comitê Gestor da Internet no Brasil assinam uma plataforma comum, proposta por um coletivo de 45 entidades, entre sindicatos, coletivos de democratização da comunicação e inclusão digital, grupos de estudos e de defesa de direitos dos consumidores.

Nota de manifestação da Comissão de Anistia sobre a decisão da OEA


A Comissão de Anistia do Ministério da Justiça vem, por intermédio desta nota pública, e a propósito da Sentença prolatada no dia 14.12.10 pela Corte Interamericana de Direitos Humanos (Corte IDH) no Caso 11.552 Julia Gomes Lund e Outros VS Brasil (Guerrilha do Araguaia), manifestar o que se segue: 1. A Comissão de Anistia reconhece a sentença prolatada pela Corte IDH no caso Araguaia como um importante e decisivo marco para a promoção e a proteção dos Direitos Humanos no país. Esta decisão sinaliza de maneira inquestionável para a repulsa à prática de crimes contra a humanidade, especialmente quando cometidos pelo Estado contra os seus próprios cidadãos, afastando com veemência qualquer obstáculo que se interponha para a persecução e o julgamento dos responsáveis. 2.