Jornalistas lançam campanha pela autodeclaração racial e étnica


A FENAJ – Federação Nacional dos Jornalistas acaba de lançar a campanha “Jornalista de verdade assume a sua identidade” - iniciativa assinada em conjunto com a EBC – Empresa Brasil de Comunicação, com apoio da ONU Mulheres. Além de reafirmar compromissos assumidos com a categoria e divulgar o Ano Internacional das e dos Afrodescendentes, a campanha faz parte de um esforço para gerar um debate mais amplo sobre o enfrentamento ao racismo e às desigualdades de gênero entre as/os jornalistas.
  
Outra ação é o curso Gênero, Raça e Etnia para Jornalistas, realizado em parceria com a ONU Mulheres, em oito capitais brasileiras: Belém, Fortaleza, Maceió, Manaus, Porto Alegre, Recife, Rio de Janeiro e São Paulo nos meses de agosto e setembro.O curso já atingiu 240 jornalistas.

Além do debate acerca da identidade racial e étnica dos jornalistas e do investimento no preparo de profissionais para a melhoria da prática jornalística na cobertura diária dos temas de gênero, raça e etnia, a FENAJ incorporou a inclusão do item raça/cor/etnia na sua ficha cadastral e dos 31 sindicatos filiados. As informações sobre raça, cor e etnia no cadastro sindical vão derivar dados estatísticos confiáveis e influenciar a análise de indicadores sobre o modo de vida profissional dos/as jornalistas, subsidiando a luta por políticas de igualdade racial e gênero no mercado de trabalho.

A campanha “Jornalista de verdade assume a sua identidade” está sendo realizada nos sindicatos filiados à FENAJ. É composta por peças eletrônicas produzidas pela EBC: spot de rádio, gravado pela jornalista e radialista Mara Régia, e filme de 30 segundos que teve a participação espontânea de funcionários da EBC que se autodeclararam na peça. Com o apoio da EBC, as peças começarão a ser veiculadas nas emissoras públicas de comunicação do país.