Fórum Social das Resistências acontece em Janeiro de 2017


A conjuntura mundial nos pede coragem. E frente ao crescente processo de retrocessos políticos, sociais, econômicos e o aprofundamento da crise ambiental há várias iniciativas de coletivos, movimentos e organizações sociais em lutas e resistências. Reunir estas várias experiências para troca de informações, criar pontos de contatos e pensar formas de unir e acumular forças é uma necessidade. Por isso estamos convidando à todas e todos que estão mobilizadas e mobilizados contra a retirada de direitos para se somarem num esforço coletivo para a realização de um FÓRUM SOCIAL DAS RESISTÊNCIAS – por democracia e direitos dos povos e do planeta a se realizar de 17 a 21 de Janeiro de 2017 em Porto Alegre, Brasil. A data é em contraposição ao Fórum Econômico de Davos, evento que congrega o pensamento neoliberal responsável pela crise civilizatória que a humanidade vive. Nossa proposta é uma iniciativa de vários organizações e movimentos sociais brasileiros em diálogo com atores e atrizes sociais da América Latina e do Mundo.

Este Fórum ocorre no âmbito das dinâmicas e metodologias horizontais que caracterizam os processos do Fórum Social e pretende contribuir com a dinâmica de renovação e ampliação do próprio FSM. Como dinâmica do evento propomos que no dia 17 de janeiro de 2017 haja um grande ato internacional em defesa das lutas e resistências no Brasil, na América Latina e no Mundo. Já nos dias 18 e 19 de janeiro de 2017 sejam dedicados para grandes debates de convergências das temáticas centrais dos processos de resistências. Os dias 20 e 21 de janeiro de 2017 serão reservados para as agendas e atividades autogestionadas. Neste dias, propomos que todas e todos possamos ocupar o Parque Farroupilha com nossas barracas, atividades político culturais, mostras, expressões artísticas e atos políticos.

Do ponto de vista da mobilização, comunicação, infraestrutura e organização estamos num grande esforço coletivo de mobilização de recursos humanos e financeiros via a formação de um fundo colaborativo formado pela contribuição individual ou coletiva de atrizes e atores sociais que apoiam nossa iniciativa.

#NenhumDireitoaMenos! #OcupaTudo! #LutarResistirAvançar!

Comitê de Apoio Local do Fórum Social das Resistências

Abong – Ação Educativa – CAMP – CEAAL – CEBs – Clacso – CNJP – CTB – CUT – FALP – FMEducação – FS das Pessoas Idosas – FMML – FREPOP – FUNPOTPMA – Ibase – IDhES Instituto – Instituto Ethos – Instituto Parrhesia – IPF – Geledés – MMM – MNLM – Movimento Comunitário – Profetas da Ecologia – RECID – SEMAPI – Sindicato dos Artesões – UBM – UGT –UNEGRO – UNIVENS – Vida Brasil – VPoa