ONU Mulheres apresenta projeto Cidade 50-50 na XX Marcha Nacional dos Municípios


Ao saudar a fundação do Movimento de Mulheres Municipalistas, da CNM, representante da ONU Mulheres Brasil, Nadine Gasman, frisou que 8 em cada 10 mulheres querem cidades mais igualitárias, conforme pesquisa Ibope/ONU Mulheres

O projeto Cidade 50-50: Todas e Todos pela Igualdade
foi apresentado pela ONU Mulheres Brasil na XX Marcha Nacional dos Municípios, na quarta-feira (17/5), em Brasília, durante o ato de fundação do Movimento de Mulheres Municipalistas (MMM).

Ao considerar como avanço a criação de instância representativa e de articulação das mulheres no movimento municipalista, Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres Brasil, salientou a urgência da organização das mulheres. “Saúdo as mulheres municipalistas por esse passo decisivo pela igualdade de gênero nos municípios, no qual se afirmam o empoderamento do grupo e o compromisso em agregar força em favor dos direitos das mulheres por meio do elo entre os municípios com a participação política das mulheres e as instâncias representativas do movimento municipalista”, considera.

Outro ponto destacado pela representante da ONU Mulheres Brasil foi o caráter estratégico da política local para a igualdade de gênero. Nadine Gasman fez referência à pesquisa Ibope/ONU Mulheres em que “8 em cada 10 mulheres querem cidades mais igualitárias. Isso quer dizer que gestores, gestoras, legisladores e legisladoras precisam desenvolver políticas de promoção da igualdade entre mulheres e homens nas cidades. A ONU Mulheres convida a todas e todos a conhecerem a plataforma Cidade 50-50 pela igualdade de gênero, que propõe como construir a igualdade entre mulheres e homens nos municípios e desenvolver uma agenda municipal de igualdade de gênero alinhada com os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”, disse.

No ato de fundação, a presidenta do Movimento de Mulheres Municipalistas, Tânia Ziulkoski, assinalou os propósitos do movimento. “Em nome da bandeira municipalista e motivadas pelas inúmeras práticas no apoio e no acompanhamento dos pleitos dos municípios, nós idealizamos a criação do Movimento de Mulheres Municipalistas, que terá como objetivo a integração de todas as mulheres que militam no movimento municipalista brasileiro, visando o acompanhjamento da autonomia dos entes públicos locais e o avanço das conquistas alcançadas. Passamos a contar com a colaboração de todas as mulheres e homens aqui presentes”, afirmou.

Em seguida, Tânia Ziulkoski convidou Dalva Christofoletti, que detém 63 anos de atuação no movimento municipalista, preside a CEAME – Centro de Estudos e Apoio aos Municípios e Empresas e é fundadora da Confederação Nacional dos Municípios (CNM), para ser a primeira associada do Movimento de Mulheres Municipalistas. Em 2015, na XVIII Marcha em Defesa dos Municípios, Dalva Christofoletti foi uma das articuladoras da adesão da CNM ao movimento ElesPorElas – HeForShe, liderado pela ONU Mulheres.

Mulheres Municipalistas em Rede – Além da participação no lançamento do Movimento de Mulheres Municipais, a ONU Mulheres participou da mesa de debate “Mulheres Municipalistas em Redes”, na terça-feira (16/5).

Na sessão, houve debate com algumas autoridades locais nacionais, entre elas as representantes de associações estaduais que compõem o Movimento de Mulheres Municipalistas, a Associação de Mulheres Municipalistas Dominicanas, e parcerias de organismos internacionais. Carolina Ferracini, gerente de Projetos da ONU Mulheres, apresentou o projeto Cidade 50-50 como esforço da ainstituições na localização dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável no âmbito da Agenda 2030, detalhada, no Brasil, por meio do Marco de Parceria para o Desenvolvimento Sustentável 2017-2021.

Fonte: ONU Mulheres