Campanhas

Campanha alerta para uso excessivo de medicamentos para melhorar desempenho na escola


A Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados discutiu ontem (11) o uso excessivo de remédios por crianças e adolescentes com dificuldades de aprendizado ou de comportamento na escola. A reunião marcou o início da campanha Não à Medicalização da Vida, encabeçada pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP) e pelo Fórum sobre Medicalização da Educação e da Sociedade.

De acordo com a conselheira do CFP, Marilene Proença, medicalização é todo tratamento de processos ou comportamentos sociais e culturais em crianças, adolescentes ou adultos com quadro de patologia psiquiátrica. Neste caso, o debate foi sobre o tratamento de distúrbios relacionados à educação – como dislexia, déficit de atenção e hiperatividade.

“Existe uma métrica social que considera sentimentos e comportamentos legítimos como sintomas patológicos. Muitas vezes, esses casos são tratados com os chamados tarja preta, que têm sérias sequelas”, explicou Marilene.

Promundo lança campanha de paternidade e cuidado


A ONG Promundo, em parceria com a mz3 Produções, está lançando uma campanha mundial em prol do cuidado do pai com as crianças. A iniciativa é pioneira, pois ao contrário da maioria das campanhas que envolvem crianças, esta coloca o pai no foco da questão. O ator Leandro Firmino em Cidade de Deus alerta sobre as consequencias da violência contra a mulher atravessarem gerações. O músico Charles Gavin e suas filhas mostram a importância do envolvimento do pai na educação dos filhos. O ator Leonardo Franco que atualmente é o protagonista da série da HBO Preamar em que como pai, vê o seu filho envolvido com tráfico, na vida real está prestes a ser pai e nos conta sobre essa nova aventura. Esta é real e envolve amor, cuidado e muito aprendizado.

Floresta Faz a Diferença convoca sociedade para votação da MP que altera Código Florestal


florestaCom a proximidade da votação do relatório da MP (Medida Provisória) 571/2012, que altera o novo Código Florestal em vigor, a campanha Floresta Faz a Diferença lança uma nova mobilização, para alertar a sociedade que a principal legislação de proteção às florestas ainda está sob ameaça da bancada ruralista. O objetivo é convocar o público para pressionar os parlamentares que irão votar a MP, provavelmente no dia 10/7.

O texto da MP, já considerado ruim pelo Comitê Brasil em Defesa das Florestas e do Desenvolvimento Sustentável, pode piorar caso sejam aprovadas várias das 696 emendas que foram propostas pelos parlamentares. O comitê é formado por cerca de 200 organizações da sociedade civil, entre elas o ISA.

"Eu apoio a causa indígena"


A Associação Juízes para a Democracia, o CIMI, diversas entidades indígenas e personalidades lançam a Campanha “Eu apoio a Causa Indígena”, que é aberta para adesão pública. A iniciativa reivindica: a) políticas públicas e demarcação das terras tradicionais; b) urgência nos julgamentos pelo Judiciário; e c) manifestação contra a PEC 215. A íntegra da carta está disponível em www.causaindigena.org.

Campanha Faça Bonito mobiliza pela proteção da infância


Com o objetivo de chamar a atenção da sociedade para o Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, que se comemora no dia 18 de Maio, o Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes lançou a campanha “Faça Bonito. Proteja Nossas Crianças e Adolescentes”, em parceria com a Comissão Intersetorial de Enfrentamento e Apoio da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República.

Mercosul começa campanha pela erradicação do trabalho infantil


O Brasil e países do Mercado Comum do Sul (Mercosul) iniciam campanha para erradicação do trabalho infantil nos países do bloco. A mobilização é organizada pelo Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), em parceria com a Organização Internacional do Trabalho (OIT) e a Agência Brasileira de Cooperação (ABC). Chamada de “Mercosul Unido contra o Trabalho Infantil”, as ações da iniciativa  terão como foco conscientizar a população para prevenir e erradicar o trabalho infantil, principalmente nas formas mais perigosas, como o trabalho agrícola, o trabalho doméstico e a exploração sexual comercial.

Saúde mobiliza jovens gays na prevenção à Aids


cartaz campanha carnaval 2012No ano passado, para cada 16 homossexuais de 15 a 24 anos vivendo com aids, havia 10 heterossexuais. Essa relação, em 1998, era de 12 para 10. Os jovens gays, de 15 a 24 anos, são o principal foco da campanha do Ministério da Saúde para o Carnaval deste ano. A ação dá prosseguimento ao tema lançado no Dia Mundial de Luta contra a Aids, em 1º de dezembro. De 1998 a 2010, o percentual de casos na população heterossexual de 15 a 24 anos caiu 20,1%. Entre os gays da mesma faixa etária, no entanto, houve aumento de 10,1%, conforme último boletim divulgado.

Mobilização quer efetivar metas de qualidade para serviço de banda larga no Brasil


Graças às mais de 80 mil mensagens enviadas ao Conselho Diretor da Anatel, foram aprovadas no ano passado as primeiras metas de qualidade para o serviço de banda larga no Brasil, porém, a Oi está ameaçando jogar tudo por água abaixo. A empresa encaminhou um pedido oficial à Anatel para anular pontos importantes das metas de qualidade. A Anatel publicou o pedido da Oi e abriu uma consulta pública, até 1º de fevereiro, para saber o que a sociedade pensa sobre a anulação das metas de qualidade. Além de deixarmos claro que não podemos recuar nas garantias já aprovadas, precisamos expor a Oi publicamente, na imprensa e via redes sociais, mostrando o desrespeito da empresa com os consumidores.

Brasil: Medalha de ouro em assassinatos e violência homofóbica


Para enfrentar a crise atual de violência contra gays, lésbicas, bissexuais, travestis e transexuais, já que não temos uma lei que criminalize a homofobia no país, precisamos como nunca de uma ação imediata - e pública - por parte do Governo. A negligência do Governo perante os crimes ocorridos pode significar a sentença de morte para centenas de brasileiros e brasileiras que terão suas vidas ceifadas em 2012 por serem quem são – a menos que medidas urgentes sejam tomadas imediatamente. Clique aqui e participe da campanha.

Histórias podem mudar o mundo


A iniciativa "Take back the Tech" está empreendendo uma campanha para erradicar a violência online praticada contra meninas, mulheres, além de pessoas de grupos e/ou listas de discussão que são perseguidas em razão de gênero, identidade sexual ou política. O mundo está, cada vez mais, conecado em rede e isso tem criado grandes possibilidades para compartilhar realidades nunca ouvidas, para organizar e promover ações coletivas, para traçar e definir um mundo mais equitativo, que inclui a diversidade e que não tolera mais a discriminação. Ao mesmo tempo, a violência baseada em gênero cresce na Internet. E o pior é que essas experiências não são relatadas ou documentadas.