Novo relatório sobre internet e democracia é dedicado às revoluções árabes


Com lançamento oficial em 10 de dezembro - Dia dos Direitos Humanos - o relatório Global Information Society 2011 investiga como os governos e empresas de telefonia móvel estão tentando restringir a liberdade online - e como os cidadãos estão respondendo a estas iniciativas, usando as mesmas tecnologias.

Muita gente está familiarizada com as histórias recentes no Egito e na Tunísia . Os/as autores/as do GISWatch 2011 contam essas e outras histórias menos conhecidas ,de mais de cinquenta países, incluindo : 

 

  • CONDIÇÕES DE PRISÃO NA ARGENTINA Presos estão usando a internet para protestar sobre as condições de vida na prisão e exigir respeito por seus direitos.

  • TORTURA NA INDONÉSIA A tortura de dois agricultores da Papuásia Ocidental foi gravada em um telefone celular e vazou para a internet. O vídeo se espalhou para sites reconhecidos de defesa dos direitos humanos, provocou indignação pública e uma investigação formal por parte das autoridades.

  • O TSUNAMI NO JAPÃO Cidadãos usado mídias sociais para compartilhar informações úteis durante o tsunami devastador, e após os primeiros dias que se seguiram ao desastre, discussões online contradisseram relatórios enganosos vindo de autoridades estatais.

     

Relatos de outros países incluem China , Irã , Líbano e Paquistão .


"Escrito por especialistas de renome internacional, o relatório traz a seus leitores conteúdos fáceis de ler e ainda artigos abrangentes, muitos deles com propostas políticas, sobre os desafios mais importantes em relação à proteção dos direitos humanos na internet que estamos enfrentando hoje", diz o advogado Matthias C. Kettemann, da Coalizão dos Direitos e Princípios Internet.

 

No prefácio do relatório, Frank La Rue, relator especial da ONU sobre a liberdade de opinião e expressão diz "O GISWatch 2011 oferece comentários oportunos sobre o futuro da internet como uma plataforma aberta e compartilhada à qual todos têm o direito de acesso" .

 

O GISWatch 2011 também inclui relatórios de experts tais como:

 

  • O blogueiro egípcio Ramy Raoof, que escreve sobre o papel da internet na onda de resistência social recente na África do Norte;

  • Alex Comninos, que escreve sobre revoluções e repressões cibernéticas no Oriente Médio e Norte da África;

  • Ron Deibert (Iniciativa Open Net), sobre guerra cibernética e contra-terrorismo : implicações para uma internet aberta e livre;

  • Joe McNamee (EDRI) que analisa a questão dos intermediários na internet - os “guardas de controle fronteiriço” que começam a monitorar e censurar seu conteúdo simplesmente porque hospedam suas informações;

  • Ben Wagner em texto provocativo: Quem lucra com a restrição da livre expressão?

O GISWatch é publicado pela Associação para o Progresso das Communicações (APC) e pela Hivos. O relatório está disponível online para download em http://www.giswatch.org/the-reports