Você está aqui

Pontos de vista

Infraestrutura na Amazônia, sim, para o amazônida

Caetano Scannavino (*)

A usina de Tucuruí, no Pará, foi inaugurada nos anos 80 para gerar energia ao país e à indústria do alumínio. As comunidades do entorno, além de conviverem com os impactos do empreendimento, só tiveram acesso à luz elétrica vinte e poucos anos depois. Os paraenses seguem pagando a maior tarifa da federação, apesar do estado ser o 2º maior produtor de energia do Brasil. E seguimos exportando alumínio para importar bicicletas de alumínio.

Trump, Bolsonaro, redes sociais e um falso dilema

16 de janeiro de 2021 - Flávia Lefèvre

É pertinente contrapor as garantias de liberdade de expressão às práticas adotadas pelo Twitter e pelo Facebook de remover conteúdos e banir de suas redes sociais os Presidentes Donald Trump e Jair Bolsonaro?

É hora de nacionalizar a Amazônia e amazonizar o mundo

Caetano Scannavino (*)

Se vida é a maior riqueza que existe, o Brasil é o país mais rico do mundo, segundo o Gross Primary Productivity, que mede a síntese de matéria orgânica gerada a partir de água, luz e ar.

O paralelo entre Richard Jewell e os brigadistas de Alter do Chão

Caetano Scannavino (*) - 31-1-2020

O filme mais recente de Clint Eastwood, "O caso Richard Jewell", conta a história real de um guarda de segurança das Olimpíadas de Atlanta que se torna herói após ser o primeiro a ver e suspeitar que uma mochila abandonada poderia ter uma bomba.

Meio desacreditado, ele lança os alertas de evasão e evita a tempo uma tragédia maior com a explosão. Dias depois, passa de herói a vilão ao ser acusado injustamente pela polícia de ter posto ele mesmo a bomba para se autopromover.

Amazônia: esse debate tá errado, certo?

Caetano Scannavino (*)
18-outubro-2019

Alimentar o embate entre desenvolvimento vs meio ambiente é estar na vanguarda do atraso. Esse debate tá errado. Ninguém é contra energia, transportes, internet, muito menos a favor do fim das florestas, mesmo quem planta —salvo o lado ogro do agro. Sem elas não tem água, sem água não tem agricultura.

Se é pra falar sério, que debatamos sobre qual modelo de desenvolvimento está em jogo, se para muitos ou para poucos, se só para as gerações de agora ou também para as próximas, se para frente ou para trás.

Amazônia: garimpos jogam ‘uma Brumadinho’ a cada 20 meses no Tapajós

Caetano Scannavino (*)
5-junho-2019

Apenas no território Yanomami são mais de 10 mil garimpeiros cavando a floresta. Já faz alguns anos que a Amazônia passa por mais uma corrida do ouro, só que desta vez “moderna”, como dizem os locais pró-garimpo. Não pelas preocupações socioambientais crescentes, mas pelo uso de máquinas que substituem parte daquele formigueiro de gente que víamos no passado por um formigueiro mecanizado. São os chamados “PCs”, retroescavadeiras hidráulicas que avançam de forma insana e avassaladora abrindo crateras sobre a floresta.

CDR: proteger dados garante livre acesso à informação

Larissa Ormay e Paulo Rená*A aprovação do projeto de Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPDP) pelo Congresso Nacional é fruto de anos de debates profundos e teve apoio de uma ampla mobilização social. Algumas notícias dão conta de que o governo federal – em desconsideração ao alinhamento de forças da sociedade civil e da maioria das empresas que atuam no Brasil - pretende vetar alguns dispositivos.

Renata Mielli: Brasil avança rumo a proteção de dados pessoais

Que bom comemorar! Vencer é possível, mesmo em tempos de golpe.Renata Mielli (*)

Tim Berners-Lee: a Web está ameaçada

Hoje (12 de março de 2018) é o 29.º aniversário da World Wide Web. Aqui está uma mensagem do fundador da Web Foundation, Sir Tim Berners-Lee, sobre o que precisamos para garantir que todos têm acesso a uma web que vale a pena ter.

Cândido Grzybowski: Os Desalentos

Na última semana, o IBGE divulgou dados sobre emprego no Brasil no quarto quadrimestre de 2017, com base na PNAD Contínua. De uma perspectiva de cidadania, continuamos mergulhados em uma grave crise de violação do direito ao trabalho de todas e de todos. Do total da força apta para trabalhar do país, 11,8% estava desocupada, que somada àquela que trabalha menos do que desejaria e poderia, temos uma taxa de subutilização de 23,6% no quadrimestre, aproximadamente uma pessoa em cada quatro do total. São mais de 26 milhões de brasileiros condenados a viver tal situação.

Páginas

Theme by Danetsoft and Danang Probo Sayekti inspired by Maksimer