Você está aqui

Destaque

SAÚDE E ALEGRIA REPUDIA INVASÃO DE MADEIREIROS NO STTR

O Projeto Saúde e Alegria vêm por meio desta repudiar o ataque promovido por madeireiros da região da Resex nesta manhã desta segunda-feira (03/4) na Sede do Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras Rurais de Santarém (STTR).

Raisg: deterioração da Amazônia em oito anos

Instituto SocioambientalO avanço das atividades extrativas, dos projetos de infraestrutura, incêndios, do desmatamento e da perda de carbono indicam que a Amazônia está muito mais ameaçada do que há oito anos.

Intervozes vence ação contra remoção de conteúdos no Youtube

Por Flávia Lefèvre – 17-12-2020 -- atualizado em 21-12-2020

Plataformas digitais e remuneração do jornalismo: um debate central, mas fora de lugar

Coalizão Direitos na Rede22-10-2020 -- A Coalizão Direitos na Rede, articulação que reúne mais de 40 organizações acadêmicas e da sociedade civil que atuam em defesa dos direitos digitais de acesso à Internet, privacidade, proteção de dados e liberdade de expressão no ambiente online, vem a público manifestar sua posição contrária à inclusão, no âmbito do PL 2630/20, de um mecani

Governo descumpre decisão do STF e covid-19 chega à aldeia mais próxima de índios isolados do Vale do Javari

Em nota a União dos Povos Indígenas do Vale do Javari (Univaja) e a Associação dos Kanamari do Vale do Javari (Akavaja) manifestam preocupação com a chegada do coronavírus na aldeia Jarinal, no extremo leste da Terra Indígena Vale do Javari, no Amazonas. O primeiro caso de contaminação foi confirmado pela Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), mesmo depois de muitos alertas das organizações indígenas da gravidade da chegada da Covid-19 nessa aldeia, que é a mais próxima de territórios de grupos de indígenas isolados. As organizações denunciam que o governo federal está descumprindo uma determinação do STF para a instalação de barreiras sanitárias em Terras Indígenas com a presença de isolados.
A aldeia Jarinal, onde vivem os Kanamari e os Tson wük Dyapah, este povo de recente contato, está localizado no alto curso do rio Jutaí, lugar de grande concentração de diferentes grupos de índios isolados. Nessa mesma região a Univaja e a Akavaja denunciaram nos últimos 5 meses a volta de balsas garimpeiras ilegais na área de ocupação dos índios isolados Korubo e Warikama Dyapah. A denúncia do descaso do governo federal no combate às invasões foi assunto de uma matéria no Jornal Nacional.

Amazônia Sustentável: Unidades Socioprodutivas

Sim, é possível juntar azeite e vinagre numa boa salada. Na Amazônia tem-se desmatado pra produzir mal (63% da área é ocupada por pastagens de baixíssima produtividade, outros 23% são abandonadas). Em zonas já agricultáveis, é preciso priorizar políticas que incentivem o aumento da eficiência produtiva, a partir de técnicas mais amigáveis ao meio ambiente, que gerem mais receitas com menos terra, como já acontece em alguns lugares, embora sejam exceção qdo deveriam ser regras.

ISA publica estudo sobre garimpo na bacia do Xingu

Garimpo no XinguO Instituto Socioambiental (ISA) publicou um estudo sobre e áreas de garimpo abertas ou reativadas em três Terras Indígenas e quatro Unidades de Conservação na bacia do Xingu entre 2018 e 2019.

Enfermarias de campanha são montadas em Parque do Tumucumaque, fronteira do Amapá e Pará

A Pandemia covid-19 tem se alastrado tanto quanto nos centros urbanos, nas regiões de floresta onde moram populações tradicionais indígenas. Na terra indígena Tumucumaque os casos tem aumentado, segundo reportagem publicada no EL País em 16 de junho, na região que fica na fronteira do Amapá e do Pará com o Suriname, onde vivem 1.700 indígenas de seis povos, com pelo menos dois registros de comunidades isoladas. À época foram contabilizados pelo menos 23 infectados, incluindo uma mulher grávida de cinco meses transferida em estado grave à Macapá.

Páginas

Theme by Danetsoft and Danang Probo Sayekti inspired by Maksimer