Cadernos

Capitalismo verde?


capitalismo verdeA compensação financeira por serviços prestados ao meio ambiente começa a dar forma a novas propostas legislativas no Brasil, antes mesmo da sociedade ter se apropriado e refletido sobre o tema.

Indefinições marcam os preparativos para a Rio+20


Radar Rio+20Pesquisadores e representantes de organizações da sociedade civil falam para jornalistas sobre a Conferência da ONU que acontecerá no Rio de Janeiro, em 2012. Avaliações reforçam ceticismo sobre possíveis resultados do evento.

 

Sexualidade e Política na América Latina: histórias, interseções e paradoxos


O Observatório de Sexualidade e Política e a ABIA, com apoio da Fundação Ford, estão lançando o e-book "Sexualidade e Política na América Latina: histórias, interseções e paradoxos". A publicação reúne trabalhos apresentados durante o Diálogo Latino-americano sobre Sexualidade e Geopolítica, realizado no Rio de Janeiro, entre 24 e 26 de agosto de 2009. Os textos tratam dos desafios das políticas regionais contemporâneas em termos de sexualidade, política, direitos humanos, ciência e religiões.

Legislação deficitária impede reconhecimento da violência contra as mulheres, diz relatório da ONU


Imagem de UNODC"Agressões contra mulheres somente ultrapassam o limite doméstico, quando resultam na morte dessas mulheres”. É o que destaca o Relatório Regional sobre as Respostas à Violência de Gênero no Cone Sul, elaborado pelo Escritório das Nações Unidas contra Droga e o Crime (UNODC) com o apoio da ONU Mulheres. Apresentado na última terça-feira (19), o estudo revela que, por não encontrarem uma resposta efetiva na legislação, a violência de gênero muitas vezes é silenciada.

O AI-5 digital


vetoEm junho deste ano, uma onda de ataques a sites oficiais do governo e estatais ressuscitou nos corredores do Congresso a polêmica “Lei Azeredo”. A proposta, que prevê a punição para crimes digitais, causa arrepio em muitos militantes das redes sociais, que já estão chamando a proposta de “AI-5 Digital”.

 

Mulheres: em busca da Justiça


O progresso das mulheres no mundoA ONU Mulheres está divulgando os dados da publicação "O progresso das Mulheres no Mundo - Em busca da Justiça". O trabalho apresenta dez recomendações para que os sistemas de justiça respondam às necessidades das mulheres. Foi comprovado que nos lugares onde foram aplicadas, aumentou o acesso das mulheres à justiça e à promoção da igualdade de gênero. Esse volume, edição 2011-2012, começa com um paradoxo. O século passado testemunhou a reivindicação dos direitos das mulheres perante a lei, na medida em que os países - de todas as regiões - ampliaram o âmbito desses direitos.

Declaração do IV Encontro Internacional Afrodescendentes e Transformações Revolucionárias na América Latina e Caribe


logo ano afrodescendentesDeclaração do IV Encontro Internacional Afrodescendentes, que se realizou no marco da comemoração dos 200 anos da assinatura da Ata de Independência das Américas e por ocasião da celebração do Ano Internacional para os povos Afrodescendentes.

Como desativar a ferramenta de reconhecimento facial do Facebook


Este vídeo é um tutorial da Electronic Frontier Foundation que ensina o passo a passo para desativar a nova ferramenta do Facebook de sugestão para marcação de fotos. O vídeo também orienta sobre outras configurações de privacidade relacionadas a esta ferramenta.


Países em desenvolvimento abrigam 80% dos refugiados do mundo


Gráfico de países que mais concedem refúgioRelatório do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (ACNUR) divulgado este mês revela um grande desequilíbrio no apoio internacional às pessoas que foram forçadas a se deslocar. O documento mostra que 80% dos refugiados do mundo foram acolhidos por países em desenvolvimento, no momento em que cresce o sentimento anti-refugiado em muitos dos países industrializados.

Sinais preocupantes: o PNBL em momento crítico


CabosNas últimas semanas, sucederam-se vários fatos com impacto direto no Programa Nacional de Banda Larga (PNBL). Quem não acompanha de perto o setor teve dificuldades de entender os sinais dados pelo Ministério das Comunicações. Mesmo para quem acompanha não ficou tudo esclarecido, mas alguns sinais são bem evidentes. E bem preocupantes.